A (Estranha) História por trás de Tradições Comuns

A origem de algumas palavras já foi assunto abordado em textos passados, agora, continuando a falar sobre ‘origens’, vamos ver a história por trás de alguns costumes que ninguém dá muita atenção.
É quase certeza que você nunca pensou duas vezes sobre a razão para, por exemplo, colocar a mão na boca enquanto boceja, ou apertar a mão como forma de cumprimento quando conhece alguém. Você faz isso porque algum adulto te disse que deveria, antes mesmo de ter condições de perceber o quanto tudo isso é aleatório e sem sentido.
Bem, na verdade as origens para algumas dessas tradições que você enxerga como mundanas estão situadas em algum lugar entre o estranho e o sinistro. Por exemplo…

Apertos de Mão

Sempre amigável, claro…

Em algum ponto de nossas vidas o aperto de mão se torna a forma comum de cortesia para cumprimentar amigos ou estranhos. Essa é uma ação tão natural que não pensamos nem por um segundo sobre onde aquela mão meio húmida, anormalmente quente que nós estamos apertando por reflexo deve ter passado.

Apertos de mão são uma relíquia de uma era onde todo mundo era meio paranóico, sempre esperando ser assassinado por qualquer um que eles vissem. (não muito diferente de hoje, na verdade)

Nesse passado distante, estender uma mão vazia era mais do que um gesto amigável – era um indício de que a pessoa não estava carregando nenhum tipo de pedra/faca/catapula-em-miniatura-montada-no-pulso pronta para ser usada contra você.

Conforme a história progrediu, tal prática se tornou mais complicada para se adequar ao medo crescente, os Romanos antigos, por exemplo, seguravam nos braços uns dos outros até a altura do cotovelo para procurar por adagas escondidas sob as mangas.

Dirigir na Direita

“Quando eu desenvolver polegares todos humanos irão pagar!”

A não ser que você seja Britânico, Australiano ou um maníaco, você provavelmente dirige no lado direito da estrada. É uma das coisas que nunca é questionada simplesmente porque funciona.

Voltando a Roma antiga, inventora de praticamente tudo, o tráfego normalmente ficava no lado esquerdo. O motivo? Nunca se sabe que tipo de estranho você pode cruzar pelo caminho, e uma vez que as pessoas sem superpoderes mutantes normalmente são destras, viajar na esquerda permitia que tivessem um espaço bom o suficiente para decapitações.

Esse costume acabou morrendo com a introdução das armas de fogo, já não fazia mais sentido para uma pessoa destra ficar do lado esquerdo já que teria que fazer contorcionismo para mirar em alguém que pretendia-se matar. Assim acabamos tendo o modelo de direção comum na maior parte do mundo que teve grandes celebridades ajudando sua disseminação, como Napoleão e Hitler.

Levando-se em conta que outra razão para essa mudança de lados no tráfego foi o design porco da carroça Conestoga, que forçava o condutor a ficar do lado esquerdo do cavalo para poder usar o chicote com a mão direita podemos concluir que nossa tradição em dirigir na direita é a combinação de nosso desejo em facilitar na hora de matar outras pessoas e bater nos animais.

Cobrir um Bocejo

E é por isso que hipopótamos não têm almas!

Em algum ponto na história da humanidade tornou-se importante para nós uma superpreocupação com a inspiração do ar que saiu de outros humanos. Quando você boceja é praticamente automático que você cubra sua boca, pois desde que você era uma criancinha sua mãe te disse que expor seu bebedor de lavagem para todos ao redor não era algo apropriado de se fazer. Mas por quê?

As culturas Islâmicas mais antigas viam o bocejo como um convite para que o diabo entrasse no seu corpo, provavelmente para fazer coisas realmente diabólicas como socar sua úvula como um saco de areia enquanto faz cócegas no seu pâncreas com seu rabo bifurcado. Enquanto isso na Índia o bocejo era uma via de mão-dupla: Ele permitia que os bhuts (espíritos) entrassem no seu corpo e fizessem suas baboseiras espirituais, mas também fazia com que parte da sua alma escapasse.

Por sorte todo humano vem equipado com um bloqueador de almas/espíritos/satã nas extremidades de cada braço. 😀