Artigos

Adjetivos (E Quadrinhos, claro)

O uso dos adjetivos no Inglês não é algo de grande dificuldade. A lógica usada é muito simples e com certeza dá para entender sem grandes esforços.

A função de um adjetivo – não só no Inglês, aqui também é assim – é dar uma qualidade¹ para o substantivo para diferenciá-lo dos demais. Então temos um livro (qualquer livro) e um livro ruim (provavelmente 50 tons de cinza ou aquele da molecadinha com câncer).

Days of the Week

Não é algo de grande dificuldade para a maior parte dos estudantes de Inglês memorizar os dias da semana. Talvez em alguns momentos, provavelmente pela semelhança entre as palavras e a falta de familiaridade com o novo vocabulário, confundam Tuesday com Thursday por exemplo. Normal erros assim, o que não pode em hipótese alguma ocorrer é a insistência no erro. Hoje, porém, o conteúdo deste post não é apenas limitado a falar a maneira de se dizer os dias da semana em Inglês, mas sim o porquê.

Barbecue

Ao ler alguns textos de alunos me deparei com a palavra “barbekil“, teria aquele aluno tentado escrever Barbie kills? Teria sido uma tentativa de escrever churrasco em Inglês? Pelo contexto imagino que a última opção seja a mais provável. Mas enfim, foi essa palavra escrita com um pequeno deslize em relação ao que pede a gramática que me deu a ideia de trazer um post mostrando uma pequena polêmica sobre o tão famoso churrasco americano.

Comma Power!

Alguns detalhes pequenos podem ter consequências bem grandes…
Existe aquela história do comandante que enviou uma mensagem para as tropas durante uma guerra onde mandava os soldados atacarem, e não recuar. Após ter escrito a mensagem “ATACAR NÃO RECUAR” viu que ficou meio confuso e resolveu colocar uma vírgula ali. Após o NÃO. Muitas crianças já viram esse exemplo lá nos primeiros anos de escola enquanto ainda estão sendo alfabetizadas e o professor explica o uso da vírgula e como esse gênio militar enviou uma mensagem dizendo

Maneiras que o idioma afeta como você pensa

A maioria dos linguistas concorda que, até certo ponto, os idiomas que você fala tem o importante papel de moldar como você enxerga o mundo. Se você fala Alemão, talvez seja mais pragmático; Se você fala Francês, você talvez seja um pouco emotivo; Se você fala Klingon ou qualquer língua tirada do Senhor dos Anéis, você muito provavelmente será virgem eternamente. Mas você pode surpreender-se com como o cérebro age diferente dependendo se você pensa em Japonês, Inglês ou Somali. Por Exemplo…

“O” & “U” – e “C” & “K”

A regra estranha:

A escrita em determinado ponto se torna algo natural para os estudantes de Inglês, então é fácil esquecer o quanto a letra “o” é esquizofrênica. Encontram-se palavras como “con”, onde o som é basicamente “aw”, mas então temos a palavra “son” que está entrando no território do “u”, assim como “cut”. Então temos “comb” e “tomb, que tem sons totalmente diferentes no “o” apesar de não terem nenhum direito para tal. Daí vemos frases como “some honey tongue”

Realidade em Quadrinhos

Revistas consistentemente criam mundos – até mesmo universos – onde os homens tem superforça e as mulheres tem proporções corporais cientificamente impossíveis, o que são os dois indicadores iniciais aos leitores de que eles não devem esperar ver nada remotamente possível, muito menos mesmo realístico. Mas, apenas pra estragar até a regra mais básica da ficção, há momentos na história em que as páginas de uma revista criaram vida e mudaram o mundo, como a vez em que…

A (Estranha) História por trás de Tradições Comuns

A origem de algumas palavras já foi assunto abordado em textos passados, agora, continuando a falar sobre ‘origens’, vamos ver a história por trás de alguns costumes que ninguém dá muita atenção.
É quase certeza que você nunca pensou duas vezes sobre a razão para, por exemplo, colocar a mão na boca enquanto boceja, ou apertar a mão como forma de cumprimento quando conhece alguém. Você faz isso porque algum adulto te disse que deveria, antes mesmo de ter condições de perceber o quanto tudo isso é aleatório e sem sentido.
Bem, na verdade as origens para algumas dessas tradições que você enxerga como mundanas estão situadas em algum lugar entre o estranho e o sinistro. Por exemplo…